Greve de Professores Indígenas Paralisaram todas as escolas Indígenas de Roraima em Agosto de 2015





Profesores indígenas da rede Estadual de Educação Paralisaram suas atividades no dia 11 de Agosto de 20015, a principio vieram participar da macha dos povos indígenas realizado todos os anos pelo Conselho Indígena de Roraima CIRR, Porém toda categoria filiada a (OPIRR) Organização dos Professores Indígenas de Roraima mobilizaram toda a categoria para fazer uma greve geral por tempo indeterminado, uma vez que a Secretaria de Educação retirou o texto Original do Plano Estadual de Educação que contemplava a Modalidade Educação Indígena, além de pedir Concurso público Especifíco e diferenciado para professores indígenas, e materiais básicos e didático, merenda para todas as escolas, os professores elaboraram 50 itens de reivindicações para o Governo do Estado e ainda exigiram a saída imediata da Secretária SELMA MULINARI, irmã da governadora. A governadora Suely Campos recebeu por três vezes as lideranças indígenas no Palácio do governo, mas as negociações não chegaram a nenhum acordo, pois Suely não abre mão de sua irmã na Secretaria de Educação, ou seja, não irá exonerá-la. O desembargador Mauro Campelo decretou que a greve dos Professores é ilegal, e pediu que os salários dos professores grevistas seja descontados, Fontes seguras dizem que esse desembargador tem ligações fortes com o Governo de Suely, uma vez que sua esposa é cargo comissionado da CER (Compania de Energia de Roraima), chegando a ganhar mais de 10 mil reais por mês.
Todas as Escolas indígenas estão paralisadas, e todos os povos indígenas de Roraima estão reunidos desde o dia 11 de Agosto na praça do centro civíco com suas caravanas, com professores, alunos, tuxauas e outras lideranças, cono os povos Macuxi, Wapixana, taurapang, Waiwai, Ingaricó, yanomami. Os indígenas protestam todos os dias em frente ao Palácio do governo, na Assembléia legislativa, no tribunal de Contas do Estado, e principalmente em frente a Secretaria de Educação, que ao saber do protesto a Secretaria manda fechar os portões da SEED, Com cadeados e correntes, e um grande aparato de policiais cicis e militares, cães etc. O clima não esta nada bem, as negociações não avançaram e as conversas não chegaram a nenhum lugar. Senadores de Roraima ja interviram, mas estão querendo convencer os indígenas a voltarem para as comunidades para que a governadora atenda aos pedidos, a estratégia do governo é que com a intervenção da Senadora do PT, Angela Portela, convença os lideres indígenas filiados ao PT a convencer outros lideres a retroceder e aceitar as propostas do governo retornado para as suas bases dando fim a greve. estratégia essa que não atingiu seus objetivos, pois os professores que não tem partidos não aceitam intervenção politica no movimento Indígena. A greve vai continuar por tempo indeterminado, no último discurso de lideranças na última quinta depois que sairam do palácio, lideranças do movimento endureceram o discusso "se ela diz que não esta brincando de ser governadora, nós também não estamos brincando de ser professores"(...)
" Essa praça agora é nossa, ficaremos aqui até quando nossos direitos forem respeitados e valorizados". "Ficaremos em greve por tempo indeterminado nem que nossos salário forem cortados, nem que o ano letivo seja comprometido".
A governadora disse aos professores indígenas no último encontro que o Assunto da exoneração da Secretária Selma, sua irmã estava encerrada e não queria nem que tocasse mais no assunto, e os lideres relataram que ela com sua arrogância e prepotência batia o tempo todo na mesa com o ar de superioridade tentando intimidar os Indígenas. Essa novela está longe de acabar, pois a governadora não aceita exonerar sua irmã, uma vez que ela é a mentora intelectual do seu governo.
Nas Campanhas de 2014,  a Governadora nunca pisou pelas comunidades indígenas, seu marido o ex governador Neudo Campos era que fazia o papel de pedinte, prometendo mundos e fundos, inclusive no segundo turno Neudo e Telmário Mota Prometeram remuneração para todos os tuxauas das comunidades indígenas, e essa governadora ta aí no poder com a maioria dos votos das comunidades indígenas, e o troco agora é esse, perseguição, humilhação, arrogância, prepotência. nada como um dia após o outro, esse governo acabou de dar um tiro na Própria cabeça com as comunidades indígenas. quatro anos passa rapidinho..
  • RELÓGIO

    IVONIO SOLON BLOG