A ILHA DA COBRA GRANDE

 A ILHA DA COBRA GRANDE

Existia um lago lá para o rumo do Bonfim que no meio dela tinha uma pequena ilha, esse lago era misterioso, pois quando era de manhãzinha a ilha amanhecia na beira do lago, meio dia estava no meio e a tardezinha ela estava lá do outro lado. As vezes a ilha desaparecia por completo, aquilo intrigava as pessoas que moravam próximo ao lago, quem morava lá por perto era seu Dionizio Cadete e sua esposa dona Anizia Pereira que tinha um sitio naquela região, eles diziam que aquele lago tinha muito peixe em abundância e nunca secava, os antigos diziam que lá morava uma cobra grande que era o pai do lago e que algumas vezes ja teria sumido alguns pescadores lá, mas nunca ninguém tinha visto a tal cobra.
         Um certo dia dona Anizia foi lavar roupa nesse dito lago e levou consigo seu filho de cinco anos de idade, ela estava em seu período de menstruação e mesmo assim foi até o lago, nesse dia deu um roda moinho que começou do meio do lago e veio vindo em direção a dona anizia e seu filho, ela ficou bastante assustada e foi embora para sua casa. Ao chegar lá seu filho começou a se enrolar todo e ficou revirando os olhos, ele ficou a noite toda dessa maneira e seu pai pegou seu cavalo e foi até a maloca do jabuti atrás de um pajé que lá existia. Quando chegou lá pajé bateu folha e viu em sua vidência que o pai do lago tinha pegado a alma de seu filho, ele disse que era uma cobra grande que estava engolindo ele aos pouco e que quando terminasse de engoli-lo a criança morreria, ele disse que não podia mais fazer nada, pois a cobra já estava terminando de engolir o menino se tivessem ido mais rápido talvez poderia ter salvado. O pajé disse a mulher que ela tinha sido a culpada pelo o acontecido, pois ela teria ido para o lago menstruada e isso deixou o bicho com raiva, a mulher chorou muito mas não havia mais nada a ser feito.






JOAQUIM BONITIN GRANDE PAJÉ WAPICHANA


JOAQUIM BONITIN GRANDE PAJÉ WAPICHANA

Joaquim bonitinho foi um grande pajé wapichana, foi ele quem contou essa história para minha avó Julia solon. Ele era rapaz novo e se casou com uma jovem wapichana, ele era muito apaixonado por ela, porémum certo dia ela   morreu misteriosamente sem explicação, pois não estava doente e isso foi oque mais intrigou ele, ele acha que algum bicho malinou dela e nessa época existia muitos canaimés.  Joaquim se desesperou e desejou que a morte o levasse tambémdecidiu que iria morrer vagando no meio da mata, no alto da serra, ele saiu sem destino e sua sina seria morrer de fome e sede, andou, andou muito no meio de uma serra, queria que alguma onça o comece sua vida não tinha mais sentido algum.
Passaram-se cinco dias e Joaquin bonitin continuou sua caminhada na mata já estava muito fraco e ainda não tinha comido e nem bebido nem se quer uma gota d’água ele então desmaiou na beira de uma grota de onde jorrava bastante água que caía da serra. Naquela hora ele sentiu que tinha chegado sua hora, a morte o esperava sua vista aos poucos ia escurecendo, mas antes de seus olhos se fecharem viu uma pessoa saindo de dentro da água por detrás das quedas d’água, era um homem baixo e barbudo se aproximou dele e ficou observando por alguns minutos, falou algo em palavras que ele não entendeu, o homem pegou uma folha e espremeu um liquído em sua boca ele então apagou de vez. Joaquim acordou no outro dia dentro de uma caverna entre duas pedras grande e pensou que já tinha morrido, mas seu espanto foi grande quando ouviu uma voz vinda de dentro lhe dizendo que ele tinha uma grande missão, pois se ele suportasse seria um grande pajé, caso contrário se fosse fraco com certeza morreria. A voz que falava com ele era de um grande pajé que já tinha morrido que se chamava Zé poeira, o espiríto lhe dizia que estava precisando de uma matéria para incorporar e ajudar outras pessoas que precisavam de ajuda e ele seria um grande pajé se suportasse as provas qe teria que passar.
         A primeira missão de Joaquim bonitin foi matar um beija flor o menor passarinho da mata, aquela seria sua alimentação durante uma semana, ele assim o fez conseguiu matar o beija flor usando uma zarabatana feita de taboca com espinho de jauarí, ele muquinhou o beija flor e comeu uma de suas asas, aquilo lhe deu muita força e foi como se ele tivesse comido o quarto de um boi. A outra missão de Joaquim foi encontrar na mata as cascas dos paus mais amargos fazer um chá e depois toma-los e vomitar nas cachoeiras para tirar todas as impurezas do seu corpo, ele procurou e fez como devia e quase que vomita seu intestino fora, nesse dia ele ficou muito fraco e teve visões além do alcance, viu muitas almas vagando por todo lado, viu a alma dos pajés que não conseguiram subir para o céu suas almas estavam atormentadas e vagavam sem rumo, viu os bichos da mata, matinta pereira, mãe do campo, mapinguarí, e muitos canaimés. Tudo aquilo fazia parte daquele ritual de pajelança, ele ainda teria que lutar com alguns espirítos maus derrota-los e chamar seus xerimbabos os espirítos que seriam seus guias.
         Joaquim bonitin ficou mais ou menos seis meses morando na serra, conhecendo as plantas que usaria como remédio para curar as pessoas ele sempre tinha a orientação de seu guia que o salvou da morte, nunca o viu pessoalmente só em sonhos, mas podia ouvir sua voz. Quando estava preparado saiu da mata e foi curar quem precisasse dele, o pajé inicialmente começou a curar apenas crianças,ele foi um dos grandes pajés que existiu em Roraima sabia fazer remédio pra mulher engravidar e parar de ter filhos desfazia feitiço e matava outros feiticeiros, sabia se cercar para ninguém vê-lo, amarrava espirítos de cobra e outros bichos que morava em lagos e igarapés, matava canaimé e arrancava seus tajãs, ele foi muito perseguido por canaimé e feiticeiros que tentavam a todo custo tirar sua vida. Ele batia folha com peão roxo, sua sessão era semprecom a luz apagada, muitas pessoas vinham de vários lugares atrás da cura para vários tipos de doenças, alguns de seus guias eram os espirítos de alguns pajés entre ele pajé Aleixo fundador da comunidade serra da moça, Zezinho torto que tratava somente de crianças, caboco rôxo que lutava com pessoas com encostoe Zé poeira . Joaquim dizia que só quem podia com ele só Deus, falava para todo mundo que não iria morrer e que ia virar cobra grande e morar num grande lago, alguns antigos queo conheciam disseram que ele desapareceu misteriosamente e nunca souberam se de fato ele morreu mesmo ou cumpriu com sua palavra e virou cobra grande.
  • RELÓGIO

    IVONIO SOLON BLOG